Sucessão mossoroense passa pela eleição estadual de 2018



No Rio Grande do Norte, eleição municipal naturalmente funciona como ponte para o pleito seguinte a nível de estado. Mas, a sucessão mossoroense de 2016 terá um componente especial nesse sentido para um protagonista da disputa: Rosalba Ciarlini. A ex-prefeita, ex-senadora e ex-governadora trabalha seu retorno à Prefeitura como trampolim para reconquistar o espaço que até recentemente possuía na política estadual.

Portanto, não é à toa que Rosalba Ciarlini, nas últimas duas semanas, intensificou articulação da sua pré-candidatura a prefeito, conversando com lideranças estaduais e protagonistas da eleição estadual de 2018. Entre eles, o ministro do Turismo e presidente do PMDB no Rio Grande do Norte, Henrique Eduardo Alves.

O herdeiro político do ex-governador e ex-ministro Aluízio Alves dividiu mesa de jantar, sábado (19), em Natal, com Rosalba Ciarlini e o marido dela, ex-deputado estadual Carlos Augusto Rosado. E a conversa, no encontro, certamente passou pela reconstrução da relação política entre eles e retomada de laços para 2018.

Essa reconstrução é necessária para superar episódio de 2014, quando Henrique Alves avalizou estratégia do senador José Agripino (DEM), que não deu legenda para a candidatura à reeleição de Rosalba ao Governo do Estado. Na oportunidade, Henrique foi candidato a governador e, sem o apoio dela, sofreu fragorosa derrota em Mossoró.

O fato, porém, parece superado, e o Partido Progressista (PP), ao qual a ex-governadora está filiada, e o PMDB de Henrique caminham para aliança na eleição mossoroense, com o compromisso de manutenção de parceria para o pleito seguinte, na qual Rosalba pretende reconquistar vaga no Senado, de onde renunciou para assumir o Governo, em 2011.

Além de Henrique Alves, a ex-governadora abre outra importante frente de diálogo para viabilizar esse projeto: com o governador Robinson Faria (PSD). Corre informação de que os dois se reuniram, recentemente, para conversar sobre política. No encontro, Rosalba teria demonstrado o interesse de não se indispor com o governador na eleição de Mossoró, com vistas também ao apoio dele à candidatura dela ao Senado.

Robinson Faria também vê a ideia com bons olhos, pois, além do apoio da maior eleitor de Mossoró à candidatura à reeleição dele, em 2018, também construiria em Mossoró uma alternativa ao grupo do prefeito Francisco José Júnior (PSD), que, com a administração descendo a ribanceira, caminha rumo ao isolamento.

Dessa forma, Rosalba Ciarlini conduz seu projeto, com duas metas principais: reconquistar a Prefeitura de Mossoró, em 2016, para se capitalizar politicamente para retorno ao Senado, em 2018. Para isso, trabalha construção de alianças, no pleito mossoroense, com reflexos na eleição seguinte. Daí, o diálogo com líderes estaduais, o que deve determinar sua postura na disputa da Prefeitura de Mossoró.
Compartilhar no Google Plus

0 comentários:

Postar um comentário