Fuzileiros Navais reforçam combate’ ao mosquito Aedes aegypti em Mossoró


Militares fuzileiros navais da Marinha e profissionais da Secretaria Municipal de Saúde realizaram mais um mutirão de reforço para o combate ao Aedes aegypti. As ações ocorreram durante toda a manhã desta sexta-feira, 19, de maneira simultânea, em três pontos da cidade e contaram com orientação sobre medidas de prevenção e combate ao mosquito transmissor de Dengue, Chikungunya e Zika vírus.

Com aplicação de larvicida, quando necessária, distribuição de material educativo e orientações, 22 militares e 31 agentes de endemias, além de enfermeiros e demais técnicos da Secretaria Municipal e Saúde, percorreram diversas ruas ao longo do bairro Alto da Conceição, da zona central da Maisa e do campus central da Universidade Federal Rural do Semiárido (UFERSA).

A aposentada Antônia Luiza Fernandes, moradora do Alto da Conceição, recebeu os militares e os agentes de endemias em sua casa e comemorou. “É sempre bom contar com as instruções dos profissionais. Eu procuro estar sempre atenta, mas eles sempre têm informações novas para nos passar”, afirma. Já Lenilda Medeiros, moradora do mesmo bairro, declara que realiza vistorias contínuas em casa. “Mas o agente me chamou atenção até na hora de jogar casca de ovos no lixo, para não deixar água acumulada nesse material”, acrescentou.

A secretária municipal de Saúde, Leodise Cruz, as ações continuarão durante todo o ano, com mutirões nos bairros de maior incidência. “As orientações continuam as mesmas: Não deixar água parada e destruir criadouros do mosquito. Tanto a população quanto as autoridades precisam manter e sempre ampliar as práticas de combate ao vetor”, informou.

Infestação predial chega a 5.7%

Essa já é a segunda vez que as Forças Armadas intensificaram as ações em Mossoró, unidos aos agentes de endemias. Já foram realizados mutirões nos bairros de Alto da Conceição, Planalto e Maisa, além das visitas contínuas dos agentes de endemias nos bairros. O município tem um índice de infestação predial de 5.7%, dado elevado se comparado ao que preconiza o Ministério da Saúde, que é de 1%.

Segundo boletim da Vigilância à Saúde, já foram notificados 256 casos de Dengue, sendo sete confirmados. Não há casos notificados ainda de Zika e Chikungunya neste ano. Outro dado que preocupa é o número de tonéis a céu aberto. A Secretaria de Saúde estima que ultrapasse os 50 mil. Para fazer elogios, denúncias, reclamações e dar sugestões às ações de prevenção e combate ao mosquito, a população pode ligar para o 3315-4833, que funciona em horário comercial, de segunda a sexta-feira.
Compartilhar no Google Plus

0 comentários:

Postar um comentário