Fotos mostram corredores lotados de pacientes no Hospital Tarcísio Maia em Mossoró


Fotos circularam as redes sociais na noite deste domingo (20), mostram os corredores do maior Hospital da região Oeste lotado de pacientes. Por falta de leitos, essa cena se repede quase todos os dias.

Recentemente um vídeo de um médico conversando com o secretário de saúde circulou as rede sociais, no vídeo o médico afirma que o HRTM é um curral, de onde, todos os dias, sai “uma carreira de gente para enterrar”.

“Se eu soubesse que aqui era assim, eu teria levado meus familiares para Natal. Isso aqui é uma merda. Vocês não são dignos de estar neste serviço, onde todo dia sai uma carreira de gente para enterrar. Aí a gente chega aqui dentro, nesse curral. Se fosse a tua mãe, Lagreca, e a tua sobrinha, tu não aceitava isso não, porque tem dinheiro para bancar. Eu tenho dinheiro para bancar, mas nem isso tem aqui em Mossoró”, declarou o médico no vídeo.

Com a superlotação da unidade, muitas macas do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), acabam ficando presas.

Jarbas Mariano ressalta que a falta deste tipo de leito é um problema enfrentado tanto pela rede pública quanto pelos hospitais particulares e que, hoje, Mossoró precisaria de mais 30 leitos de UTI novos para atender à demanda dos mais de 60 municípios que recorrem aos serviços médicos da cidade.

“Infelizmente, no próprio relato do nosso colega, ele afirma que não conseguiu UTI nem na rede privada. O problema da falta destes leitos tem se agravado nos últimos anos, pois o Governo Federal desativou mais de 14 mil leitos de UTI em todo o país. Se, juntando a rede pública e privada, Mossoró tivesse mais 30 leitos de UTI, seria o suficiente para atender à demanda”, explica.


O diretor informa que não há previsão de abertura de novos leitos de UTI no HRTM. Já a enfermaria deve ser ampliada após a conclusão dos 36 leitos construídos pela Maçonaria. A obra, afirma, está na fase de acabamentos e deve ser inaugurada ainda este ano.
Compartilhar no Google Plus

0 comentários:

Postar um comentário