Moradores do bairro Santo Antônio recorrem a transporte alternativo para suprir falta de ônibus


A população do maior bairro de Mossoró, o Santo Antônio, sente dificuldades em se locomover até ao Centro ou outras áreas da cidade. O problema enfrentado pelos moradores do bairro localizado na zona norte, há muito já existe, mas a situação piorou após a retirada de linhas de ônibus do sistema de transporte público do município.

Segundo Luis Côrreia, responsável pelo Setor de Transporte da Secretaria Municipal de Segurança Pública, Defesa Civil, Mobilidade Urbana e Trânsito de Mossoró (Sesem), o problema persiste em função da substituição da empresa de transporte que atualmente tem autorização para prestar serviço ao município.

Sem outra escolha, a população do bairro Santo Antônio procura solucionar o problema utilizando os serviços do transporte alternativo, o que eleva o custo da passagem. “Gasto R$ 160,00 por mês com mototáxi para poder ir trabalhar, se eu não quiser, tenho que ir até a parada de ônibus do Centro para pegar um (ônibus), sem contar com o risco de assalto”, desabafa Islênia Pinheiro, promotora de vendas.

Os moradores relatam que sem o serviço de transporte público tudo fica mais difícil. “É horrível”, reclama a dona de casa Ivonete Pinheiro, ao ser questionada sobre a situação atual do sistema de transporte público.
Ainda segundo Luis Côrreia, o problema continuará até que a substituição da companhia de transporte seja realizada, o que deverá ocorrer em aproximadamente 45 dias.

“Sem ônibus a gente se locomove também por meio de ‘carros de linha’, que custa R$ 4,00”, relata a dona de casa Sara Ferreira. Questionada sobre os custos mensais com gasolina em caso de transporte particular ela explica, “fica bem mais caro”.

Mototaxistas aproveitam falha no sistema para aumentar faturamento:

Quem está faturando alto com o caos no sistema de transporte público de Mossoró são os mototaxistas, que veem a renda aumentar em função do transtorno. “A gente usa redes sociais (para conseguir passageiros) para fazer as corridas”, explica Bruce Li Alves, mototaxista que faz ponto no bairro Santo Antônio.

Bruce Li Alves ainda revela, que há uma diferença nos valores cobrados por corrida, fato que pode elevar ainda mais os gastos dos usuários do transporte alternativo.

“Quanto mais distante, mais caro. Os preços são tabelados”, explicando também que alguns estudantes contratam seus serviços para levá-los até ao Centro de Mossoró, que ainda é contemplado com o serviço de transporte público, e que, a partir do Centro, esses estudantes ainda seguem viagem de ônibus para irem até às escolas, tudo para diminuir o custo com as passagens.


Fonte: O Mossoroense
Compartilhar no Google Plus

0 comentários:

Postar um comentário