Preso acusado de matar dois PMs no Rio de Janeiro morre após problemas de saúde no HRTM


O detento do Sistema Penitenciário Federal identificado como Ramires Roberto da Silva, de 22 anos, morreu na madrugada desta segunda-feira (04), no Hospital Regional Tarcísio Maia (HRTM), em Mossoró, com problemas de saúde.

Segundo informações repassadas, o mesmo estava internado a cerca de cinco dias na unidade, onde era vigiado 24 horas por agentes. O mesmo teve um complicação durante a madrugada e veio a óbito.

Conforme informações do Disque Denúncia, Ramires tem extensa ficha criminal. Ele teria pelo menos quatro mandados de prisão em aberto por crimes como assalto a mão armada e homicídio simples.

Segundo a assessoria da CPP, além da participação nos atentados que levaram à morte os dois policiais de UPPs, Ramires estaria sendo investigado também por um ataque criminoso contra a sede do Afroreggae.

A soldado Alda Rafael Castilho, 26 anos, foi morta em 2 de fevereiro, baleada na barriga durante ataque contra a sede da UPP Parque Proletário, na Vila Cruzeiro. Na ocasião, outras três pessoas foram baleadas. A policial voltava para o contêiner da UPP, depois do almoço, quando foi alvejada.

Já em 13 de março, o tenente Leidson Acácio Alves Silva, de 27 anos, foi baleado na testa durante confronto com criminosos na Vila Cruzeiro. Havia três meses que ele estava no subcomando da UPP Vila Cruzeiro.

O corpo de Ramires aguarda a presença de algum familiar para fazer a liberação para o sepultamento, que deve ocorrer no Rio de Janeiro-RJ. 
Compartilhar no Google Plus

0 comentários:

Postar um comentário