Vereador afirma que Prefeitura gasta R$ 14 milhões em propaganda

Só este ano, a prefeitura já gastou mais de 1 milhão em propaganda (Foto: Caio Vale/Mossoró Notícias)
O vereador Lairinho Rosado (PSB) denunciou o que ele classifica como gastos excessivos da Prefeitura com publicidade e propaganda.

Segundo informações colhidas no Jornal Oficial do Município (JOM), entre dezembro de 2013, quando o prefeito Francisco José Júnior (PSD) assumiu, e março de 2016, quando houve o último pagamento para agências de publicidade, este ano, foram gastos R$ 13.619.438,78 com a Secretaria de Comunicação.

“Diga-se, gastos em alguns poucos veículos, pois há outros que, além de boicotados, recebem calotes milionários do gestor da Prefeitura de Mossoró”, alerta o líder da Oposição.

Foram R$ 471.435,78 em dezembro de 2013; R$ 6.773.866,70 em 2014; R$ 5.321.073,04 em 2015; R$ 1.053.064,79 até março de 2016.

O prefeito gastou com a Secretaria de Comunicação, em média, R$ 486.408 mil por mês desde que assumiu. Uma média de R$ 16.214 por dia. A cada hora, em média e números redondos, o prefeito gastou R$ 676,00.

“Eu sonho com o dia em que a Prefeitura dará prioridade às ações que beneficiam à população, especialmente as que mais precisam, ao invés de gastar com propaganda pessoal”, sugere o vereador.

Pão e circo

Somente com quatro festas (Mossoró Cidade Junina, Festa da Liberdade, Carnaval e Festa do Bode) a Poder Executivo gastou quase R$ 10 milhões.

No MCJ foram investidos R$ 4.887.281,00, em 2014; R$ 3.100.000,00, em 2015. Na Festa do Bode, em 2014 o investimento foi de R$ 154.200,00; Em 2015, R$ 100.000,00. No carnaval, em 2014 o gasto foi de R$ 442.316,00 e em 2015, R$ 355.994,00. Para a Festa da Liberdade os valores foram de R$ 364.210,00, em 2014 e, R$ 274.700,00, em 2015. No total, foram gastos com festas em Mossoró, em apenas dois anos, a quantia de R$ 9.978.501,00.

Desvio de prioridade

Lairinho chama atenção para ações que deveriam ser priorizadas no município e estão esquecidas em detrimento à propaganda.

“Em contraste com essa pujança nos gastos com propaganda, o que se vê em Mossoró são creches fechando por falta de pagamento do aluguel do prédio, ruas esburacadas, atraso de pagamento a fornecedores e prestadores de serviços, salários dos terceirizados em atraso em até oito meses, falta de medicamentos nas unidades de saúde, hospitais fechando por calote da gestão de Silveira, médicos paralisando por falta de pagamento e tantos outros problemas”, assevera.

Nesta manhã a Unidade de Educação Infantil (UEI) Maria Caldas, no bairro Alto do Sumaré (zona leste), foi fechada por falta de pagamento do aluguel por parte do Executivo. “Não é a primeira creche que o proprietário passa o cadeado por falta de pagamento. Em novembro do ano passado, a UEI Adalgisa Fernandes, no bairro Boa Vista (zona sul), também fechou o portão por falta de pagamento. Enquanto faltam recursos para o pagamento dos alugueis, o prefeito gasta mais de um milhão em propaganda, em apenas três meses. É um absurdo que a educação não seja prioridade para a gestão municipal”, lamenta Lairinho.

Fonte: Blog do Barreto
Compartilhar no Google Plus

0 comentários:

Postar um comentário