Cosern vai investir R$ 18 milhões para combater 'gato' na energia

Cosern deverá investir este ano R$ 18 milhões para coibir o furto de energia no RN (Foto: Luciano Lellys/Mossoró Notícias)
A Cosern deverá investir este ano R$ 18 milhões para coibir o furto de energia elétrica no Rio Grande do Norte. Os recursos são destinados à realização de inspeção em 55 mil imóveis, substituição de 17 mil medidores e implantação de novas tecnologias, com a finalidade de identificar e inibir irregularidades.

Além destas ações, a distribuidora tem adotado outras medidas para coibir ligações irregulares como a instalação de cabos antifurto, elevação da rede de baixa tensão em relação ao solo, para dificultar o acesso de pessoas não autorizadas e a regularização de ligações clandestinas em residências e no comércio de rua.  

Para reduzir as perdas comerciais, a Cosern tem efetuado a substituição de condutores sem isolamento por fiação protegida, que também minimiza possíveis desligamentos por contato acidental de árvores com a rede elétrica e evita a necessidade de podas.

A concessionária utiliza ainda novas tecnologias de medição, nas quais o consumo do cliente é acompanhado remotamente. A inovação permite o monitoramento do consumo à distância, inclusive com possibilidade de detecção de fraudes. Caso o sistema acuse alguma irregularidade, uma equipe técnica é enviada ao local para inspecionar a unidade consumidora e adotar medidas, caso necessário.

Os furtos e fraudes respondem por aproximadamente 1,3% da energia elétrica distribuída pela Cosern no Rio Grande do Norte. Nos cinco primeiros meses deste ano, foram removidas aproximadamente 800 irregularidades em unidades consumidora do estado. Até o final do ano, a expectativa é que a distribuidora possa coibir 1.600 ligações irregulares.

O combate às irregularidades proporciona mais segurança à sociedade, tendo em vista que ligações clandestinas podem provocar acidentes tanto no ato da instalação das gambiarras quanto posteriormente, já que elas não obedecem aos padrões de segurança. Além disso, podem sobrecarregar a rede elétrica, rompendo a fiação da rede de distribuição ocasionando desligamentos.

CRIME

A população pode colaborar denunciando a prática de irregularidades através do endereço eletrônico servicos.cosern.com.br, na seção “Denúncia de Irregularidade; do teleatendimento 116 ou em uma das agências presenciais, lembrando que todas as denúncias são feitas anonimamente. Crime previsto no artigo 155 do Código Penal Brasileiro, com pena variando de dois a oito anos de prisão, o furto de energia representa risco de acidentes fatais para o infrator e para a comunidade. Além disso, o gato de energia envolve ainda questões que impactam diretamente a sociedade como a qualidade do fornecimento de energia, o preço da tarifa, dentre outros.

SEGURANÇA

As pessoas que fazem o gato correm sério risco de morte, porque estão sujeitas a sofrer choque elétrico. Também correm risco de queda ao subir em postes para cometer a ilegalidade. Como a ligação clandestina foge ao padrão e às normas técnicas, há ainda o risco de provocar queda de cabos e fios expostos, trazendo riscos à comunidade.

FALTA DE ENERGIA E AUMENTO DA TARIFA

Outra questão importante é que as irregularidades provocam sobrecarga na rede de distribuição, o que além de degradar a qualidade do fornecimento de energia, também pode causar a queima de equipamentos eletroeletrônicos e interrupções no fornecimento.

A Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) prevê que perdas comerciais decorrentes de gato podem ser repassadas para a tarifa de energia de todos os consumidores, portanto, esse é mais um motivo para que toda a sociedade ajude no combate aos gatos através de denúncias.

A ANEEL estabelece ainda que o consumidor flagrado com uma fraude terá de pagar multa e todo o consumo retroativo de energia do período em que foi beneficiado ilegalmente pela fraude.
Compartilhar no Google Plus

0 comentários:

Postar um comentário