Rio Grande do Norte sobe cinco posições em ranking de competitividade

(Foto: Alex Regis)
O Rio Grande do Norte subiu cinco posições no ranking nacional de competitividade, passando da 23ª posição para o 18º lugar, puxado por resultados bem acima da média nos quesitos Infraestrutura e Solidez Fiscal. A informação é do Centro de Liderança Pública (CLP) que, em parceria com a Tendências Consultoria (SP) e a Economist Intelligence Unit (divisão de pesquisa do grupo inglês The Economist), divulgou ontem o Ranking de Competitividade dos Estados 2016.

O RN registrou 44,5 pontos (dos 100 possíveis), média calculada a partir dos dez itens avaliados pela pesquisa. São Paulo (88,9), Paraná (76,9) e Santa Catrina (74,3) ficaram com as três primeiras posições, e a média nacional bateu na casa dos 50,2 pontos – índice nacional abaixo dos 53,6 verificados em 2015. Ano passado o RN somou 40,7 pontos.

Apesar do Estado ter subido no ranking, “o salto não significa, de fato, que o RN melhorou de um ano para outro”, disse Fábio Klein, consultor da Tendências. Analista de finanças públicas, Klein disse que “o resultado do RN foi puxado pelo desempenho em infraestrutura (o 3º maior do País, atrás de São Paulo e da Paraíba) e em solidez fiscal, passando da última para a 8ª posição – em 2015 os números fiscais não foram computados devido a ausência de dados junto ao Tesouro Nacional.

“O crescimento do RN no ranking foi bastante influenciado por esses dois itens: infraestrutura e solidez fiscal, os únicos que ficaram acima da média nacional. E como em 2015 a pesquisa não contabilizou a questão fiscal, o salto também pode ser explicado por informações relativas a esse indicador – que subiu de zero para 66,8 pontos, ou da 27ª para a 8ª posição. A transparência é muito importante nesse quesito”, avaliou Laura Tavares, diretora executiva da CLP.

Os 66,8 pontos do RN estão acima da média nacional de 51,5. Na conta do item Solidez Fiscal merece destaque o indicador “Solvência Fiscal”, relação positiva entre ativos e passivos, que teve pontuação máxima. Klein reforça que “é preciso verificar a pontualidade desses números, pois para se garantir um desenvolvimento a médio e longo prazo é preciso equilibrar índices econômicos com avanço na área social, representados pelos itens Capital Humano, Sustentabilidade Social e Educação, que no RN estão abaixo da média nacional”.

A metodologia da pesquisa aplica pesos diferentes para se chegar ao resultado final: Segurança Pública foi o item que mais pesou no cálculo, seguido de Infraestrutura, Sustentabilidade Social e Solidez Fiscal. Ao todo foram considerados 65 indicadores, agrupados em 10 pilares: além dos quatro citados acima, também estão listados Educação, Inovação, Potencial de Mercado, Sustentabilidade Ambiental, Capital Humano e Eficiência da Máquina Pública.

Flávio Azevedo, secretário Estadual de Desenvolvimento Econômico (Sedec), destacou investimentos na melhoria das estradas que cortam o RN. “O DER (Departamento de Estradas e Rodagem do RN) foi bastante ativo neste ano, e o Estado vem investindo em obras de abastecimento e saneamento. Incluindo a duplicação da BR-101, o novo aeroporto e a geração de energia eólica, chegamos a esse incremento no tocante à infraestrutura”, enumerou Azevedo. Ele esclareceu que o Estado tornou as regras fiscais mais claras, detalhe que trouxe “segurança fiscal, que pode ser entendido como sinônimo de solidez”, arriscou. O titular da Sedec também ressaltou melhorias no setor de serviço (turismo, gastronomia e hospedagem) nas cidades onde a indústria eólica se fez presente.

Números

2015 
Média nacional: 53,6
Média do RN: 40,7 (23° lugar)

2016
Média nacional: 50,2
Média do RN: 44,5 (18° lugar - acima de TO, BA, PA, RO, MA, PI, AC, SE e AL)

Melhores índices do RN no Ranking 2016:

Infraestrutura:
68 pontos (47,8 média nacional)

Solidez Fiscal
66,8 pontos (51,5 média nacional)

Piores índices do RN no Ranking 2016:
Capital humano: 24,5 pontos
Inovação: 24,6 pontos
Educação: 26 pontos

Maior crescimento entre os índices apurados no RN:

Educação
de 17 pontos em 2015 para 26 pontos em 2016

Sustentabilidade Ambiental:
de 30,2 pontos para 32,1 pontos

Segurança Pública:
de 49,5 pontos para 51,1 pontos

Maior queda entre os índices apurados noRN:

Potencial de Mercado
de 54,3 pontos em 2015 para 29,3 pontos em 2016

Capital humano:
de 39 pontos para 24,5 pontos

Sustentabilidade Social:
de 52,6 pontos para 40,3

* Fonte: rankingdecompetividade.org.br
Compartilhar no Google Plus

0 comentários:

Postar um comentário