'É preciso abrir a caixa preta da Prefeitura', afirma a prefeita eleita Rosalba Ciarlini


“Vamos ter que abrir a caixa-preta.” A afirmação é da prefeita eleita neste domingo, 2, Rosalba Ciarlini (PP), em relação à suspeita de um “rombo” de mais de R$ 140 milhões nos cofres da Prefeitura de Mossoró. Rosalba afirmou que não vai esperar chegar a data 1.º de janeiro de 2017, quando tomará posse no cargo, e vai atuar de imediato para colher todas as informações da situação financeira do Município.

Rosalba disse que está consciente do “grande problema” que herdará da atual gestão municipal, afirmando que não se intimidará com o tamanho do desafio. Porém, vai exigir que o prefeito Silveira Júnior (PSD) apresente a real situação da Prefeitura. “Acredito que ele não se posicionará contra, porque neste momento é preciso a participação, para que a situação seja enfrentada”, disse.

As informações que escapam do Palácio da Resistência é que nem o prefeito sabe o tamanho do “rombo”. Porém, auxiliares da área financeira garantem que o quadro é dos mais preocupantes. Suspeita-se de mais de R$ 140 milhões em dívidas e os mais pessimistas acreditam que se aproxima da casa dos R$ 200 milhões.

As incertezas dos números aumentam ainda mais com informações diárias sobre dívidas das mais diversas, principalmente com fornecedores e trabalhadores terceirizados. Os salários desses trabalhadores estão atrasados acima dos seis meses, além do 13.º salário de 2015.

Segundo Rosalba, será preciso abrir a “caixa-preta”, e, para isso, buscará o apoio de todas as instituições responsáveis pelo zelo da coisa pública. “Temos que saber como está a situação da Prefeitura, de forma concreta, para que possamos iniciar o trabalho da reconstrução”, disse.

A prefeita eleita concedeu entrevista logo após a apuração final das urnas e antes de sair para comemorar a vitória na Avenida Presidente Dutra.

Veja os principais trechos:

A senhora conquistou o direito de governar Mossoró pela quarta vez. Tem uma importância maior do que as outras vezes?

ROSALBA CIARLINI – Foi uma luta muito grande. Enfrentamento de um poderio econômico impressionante. O candidato adversário teve no seu palanque duas ex-prefeitas (Fafá Rosado e Cláudia Regina) que nos traíram. Teve, também, a máquina administrativa que foi colocada em sua campanha depois de o prefeito Silveira ter renunciado à sua candidatura. Mas conseguimos, vencemos outra vez, com a força do povo. Essa vitória é do povo de Mossoró, que deseja a reconstrução de nossa terra.

A SENHORA tem noção do grande problema que herdará? A Prefeitura está quebrada...

SEI que as dificuldades serão imensas. As informações que chegam são preocupantes. Dívidas acumuladas, comenta-se, de um rombo nas finanças públicas de 140 milhões de reais. Não posso afirmar que os valores sejam esses, por isso, precisamos abrir a caixa-preta, saber a real situação da Prefeitura, para que possa adotar as primeiras medidas em busca da reconstrução.

QUAL o primeiro passo?

NÃO vou esperar chegar 1.º de janeiro de 2017. Vou começar a trabalhar de imediato. Vamos formar uma equipe técnica para fazer o levantamento de toda a estrutura da Prefeitura, principalmente financeira. Essa equipe começará a trabalhar logo, antes mesmo do processo de transição. Sei que a situação é grave. Por isso, não podemos esperar.

COMO a senhora pretende escolher a sua equipe para realizar esse trabalho?

VAMOS buscar o apoio e a participação de toda a sociedade. A equipe será formada por técnicos, pessoas competentes que possam realmente fazer um diagnóstico completo da situação da Prefeitura, esperando que o prefeito não se coloque como obstáculo, porque o que está em jogo é a nossa cidade, é a vida das pessoas que sofrem com tantos problemas.

SE HOUVER resistência?

PREFIRO acreditar que o prefeito não fará isso. Prefiro entender que ele vai permitir o trabalho porque trata-se da coisa pública, que deve ser conduzida com transparência, com ética e retidão. O nosso grupo de trabalho, que formaremos logo, repito, vai trabalhar para diagnosticar o que está acontecendo na Prefeitura, para saber qual é real situação, o tamanho do rombo nas contas públicas. Precisamos de informações precisas e não vamos esperar para encontrar o caos no dia 1.º de janeiro.

A SENHORA foi bastante atacada durante a campanha eleitoral, principalmente pelo prefeito Silveira e pelo candidato Tião Couto. Guarda mágoas?

NÃO sou de guardar mágoas. A campanha passou. Tivemos uma grande vitória, demos a resposta nas urnas. Agora é olhar para frente. Temos uma missão difícil e enfrentaremos com muita força, muita garra e determinação. Quero dizer que vou convocar a sociedade não apenas para apoiar, mas para participar desse processo. A sociedade precisa saber o que está acontecendo na Prefeitura e participar conosco da reconstrução.

Com informações De Fato
Compartilhar no Google Plus

0 comentários:

Postar um comentário